Google+ Followers

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Lutar ou se Unir?!



Quando vi que eles não estavam agindo direito, de acordo com a verdade do Evangelho, eu disse a Pedro na presença de todos: “Você é judeu, mas não está vivendo como judeu e sim como não judeu. Então, como é que você quer obrigar os não judeus a viverem como judeus?” Gálatas 2:14


Essa passagem se resume a uma palavra: HIPOCRESIA.
Eu tenho vivido um momento em que o silêncio de Deus para comigo tem sido muito forte. Tenho ouvido e sentido poucas palavras; poucas coisas me elevam; mas eu sei que em meio a esse silêncio eu irei crescer. O perigo de estar vivendo este silêncio é você começar a aceitar ditados que o diabo tem espalhado como dizer que não precisa de templos para se viver em comunhão com Deus, ou seja, que você não precisa fazer parte de um corpo de irmãos com o mesmo intuito e objetivo de louvar e adora a Deus. Claro que devemos procurar igrejas sérias, mas ser membro e servir em uma congregação alegra o coração de Deus como podemos ver em várias passagens do novo testamento.
Por outro lado há aqueles que vivem um silêncio de Deus que se estende por longos períodos, pois estão dentro do corpo de Cristo como mero hábito ou por medo, achando que estar numa igreja irá livrá-lo do julgamento justo de Deus. E vivem todos bonitinhos dentro da igreja; com os irmãos da fé se relacionam como o mais crente possível, porém quando está fora da igreja e com descrentes em Cristo, se unem a eles, compartilhando de algumas ou muitas atitudes mundanas.
Tais pessoas gostam de julgar os irmãos por agirem errado quando estes não fazem o correto e pior, criticam ou querem impor uma mudança repentina na vida dos descrentes. Mas eu pergunto, que moral uma pessoa dessa vai ter de pedir pra um não convertido deixar algum vício, ou deixar de falar tais coisas, se ele mesmo, dito convertido, ainda fala como o mundo fala e vive sob alguns vícios?
Para muitos Paulo foi duro com Pedro, mas Paulo foi verdadeiro e enérgico em um momento que pediu isso. Muitas vezes temos medo de agir igual a Paulo pra não magoar o irmãozinho. Temos que agir como Paulo sim, mas temos também antes disso, olhar para nossas atitudes, principalmente fora da igreja, para ver se estamos agindo como filhos que amam a Cristo, ou como criaturas que vivem em prol de si mesmo, fazendo suas vontades, correndo atrás somente dos seus planos onde nada mais interessa, buscando acumular status e materialidade nesta vida.
Deus nos chamou e separou para sermos a diferença. Nós podemos ser a diferença na vida das pessoas. Pare de ouvir o que o mundo ouve; pare de proclamar o que o mundo proclama; deixe de pensar como o mundo pensa e pare de negociar valores. Ele não permitiu que sua palavra e seu espírito falasse conosco somente por falar, mas para que isso servisse de base para uma nova vida; novas atitudes; novos anseios. Muitas vezes nos perguntamos como poderemos fazer a diferença se estamos falhando. É fácil, se arrependa, comece a agir como um verdadeiro cristão, assim você não só fará a diferença, mas também terá o poder, através do Espírito, de apresentar uma nova vida para os descrentes e por que não para os “irmãos” que vivem em meio a você.
Que Deus nos abençoe e que possamos lutar por cada vida que Deus permite que entre na nossa vida, não somente em oração, mas em atitude comprovatórias de que em Cristo podemos ser novas criaturas. Não vamos aceitar aquele ditado de que “se você não pode vencê-los, se junte a eles”, pelo contrário, lute e faça a diferença.